Um novo conceito em Hospital Dia
Siga-nos:

E-mail

clinicaartcorporis@uol.com.br

Telefone

(61) 3542-2782 / 99921-6282

Menu

Como é feita a otoplastia?

Saiba o que é a otoplastia.
Guia de Conteúdo

A otoplastia é um procedimento cirúrgico realizado para corrigir deformidades ou imperfeições nas orelhas, como orelhas proeminentes ou malformações congênitas. O objetivo da otoplastia é melhorar a aparência das orelhas, proporcionando equilíbrio e harmonia com as características faciais do paciente.

Este artigo abordará detalhadamente o procedimento da otoplastia, incluindo a avaliação pré-operatória, técnicas cirúrgicas, recuperação e possíveis complicações.

Avaliação pré-operatória

Antes de realizar a otoplastia, o cirurgião plástico realiza uma avaliação completa do paciente para determinar a melhor abordagem cirúrgica. Esta avaliação inclui:

História médica e exame físico

O cirurgião revisa a história médica do paciente, incluindo doenças prévias, cirurgias, alergias e uso de medicamentos. O exame físico é realizado para avaliar o estado geral de saúde do paciente e identificar quaisquer condições que possam afetar a cirurgia.

Exame das orelhas

Na clínica, o cirurgião examina as orelhas do paciente, avaliando o tamanho, forma, posição e simetria. Ele também analisa a cartilagem auricular, a pele e as estruturas anatômicas. Essa avaliação é essencial para determinar a técnica cirúrgica mais adequada e o resultado esperado.

Ele também analisa a cartilagem auricular, a pele e as estruturas anatômicas.
O cirurgião examina as orelhas do paciente, avaliando o tamanho, forma, posição e simetria. (Foto: Freepik)

Fotografia

Fotos das orelhas são tiradas de diferentes ângulos para fins de documentação e planejamento cirúrgico.

Discussão dos objetivos e expectativas

O cirurgião discute os objetivos e as expectativas do paciente em relação à cirurgia, esclarecendo os possíveis resultados e limitações do procedimento.

Técnicas cirúrgicas

A otoplastia pode ser realizada usando várias técnicas, dependendo da deformidade específica e das características anatômicas do paciente. As técnicas mais comuns incluem:

Técnica de incisão posterior

Esta técnica envolve a realização de uma incisão na parte posterior da orelha, através da qual o cirurgião remodela e reposiciona a cartilagem auricular. Suturas permanentes podem ser usadas para manter a nova forma e posição da orelha. A incisão posterior é fechada com suturas absorvíveis ou não absorvíveis.

Técnica de incisão anterior

Em alguns casos, uma incisão na parte frontal da orelha pode ser necessária para corrigir deformidades mais complexas. O cirurgião acessa a cartilagem auricular através desta incisão e realiza a remodelação e reposicionamento conforme necessário. As incisões são fechadas com suturas absorvíveis ou não absorvíveis.

Técnicas não invasivas

Para casos menos graves, podem ser utilizadas técnicas não invasivas, como o uso de fios de sutura ou dispositivos de compressão, para reposicionar a orelha e melhorar a aparência.

Anestesia e abordagem cirúrgica

A otoplastia pode ser realizada sob anestesia local, sedação consciente ou anestesia geral, dependendo da idade do paciente, da complexidade do procedimento e das preferências do cirurgião e do paciente.

Anestesia local

A anestesia local é administrada diretamente na área cirúrgica para adormecer as orelhas. O paciente permanece acordado durante o procedimento, mas não sente dor. A anestesia local é geralmente usada em adultos e em casos menos complexos.

Sedação consciente

A sedação consciente é uma combinação de medicamentos administrados por via intravenosa para ajudar o paciente a relaxar e reduzir a ansiedade. A anestesia local é aplicada nas orelhas, e o paciente pode estar sonolento, mas acordado, durante o procedimento.

Anestesia geral

A anestesia geral é usada em crianças e em casos mais complexos. O paciente fica completamente adormecido durante o procedimento e não sente dor nem tem consciência do que está acontecendo.

Recuperação

A recuperação da otoplastia varia de paciente para paciente, mas geralmente envolve:

Cuidados pós-operatórios

Após a cirurgia, o cirurgião aplicará um curativo protetor e compressivo nas orelhas para ajudar na cicatrização e minimizar o inchaço. O paciente recebe instruções detalhadas sobre os cuidados pós-operatórios, incluindo limpeza das incisões, aplicação de pomadas e administração de medicamentos para dor e inflamação.

Retorno às atividades

Os pacientes geralmente podem retornar às atividades normais, como trabalho ou escola, em uma a duas semanas após a cirurgia. Atividades físicas mais intensas, como esportes, podem ser retomadas após quatro a seis semanas, conforme orientação médica.

Resultados

Os resultados da otoplastia são geralmente permanentes, e a aparência das orelhas melhorará à medida que o inchaço diminui e a cicatrização progride. Podem ser observados, após cerca de seis meses, os resultados finais.

A aparência das orelhas melhorará à medida que o inchaço diminui e a cicatrização progride.
Os resultados da otoplastia são geralmente permanentes. (Foto: Freepik)

Possíveis complicações

Como em qualquer procedimento cirúrgico, a otoplastia apresenta riscos e possíveis complicações, incluindo:

Infecção

A infecção pode ocorrer em qualquer cirurgia e é tratada com antibióticos. A higiene adequada das incisões e o seguimento das instruções pós-operatórias podem ajudar a minimizar o risco de infecção.

Hematoma

O hematoma é o acúmulo de sangue no local da cirurgia e pode ser tratado com compressas frias, elevação da cabeça e medicamentos anti-inflamatórios. Em casos raros, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica adicional para drenar o hematoma.

Cicatrização anormal

A cicatrização anormal pode resultar em cicatrizes espessas, elevadas ou descoloridas. O tratamento pode incluir pomadas tópicas, injeções de corticosteróides ou terapias a laser para melhorar a aparência das cicatrizes.

Assimetria

Embora a assimetria seja uma preocupação comum após a otoplastia, ela geralmente melhora à medida que o inchaço diminui. Em casos raros, pode ser necessária uma cirurgia adicional para corrigir a assimetria persistente.

Recorrência da deformidade

Em alguns casos, a deformidade da orelha pode retornar após a cirurgia, exigindo um procedimento adicional para corrigir o problema.

Conclusão

A otoplastia é um procedimento cirúrgico eficaz para corrigir deformidades e imperfeições nas orelhas, melhorando a aparência e a autoestima do paciente. A avaliação pré-operatória detalhada, a escolha da técnica cirúrgica adequada e o seguimento das instruções pós-operatórias são essenciais para garantir resultados satisfatórios e minimizar possíveis complicações.

Pudemos mostrar uma visão abrangente do procedimento da otoplastia, incluindo a avaliação pré-operatória, técnicas cirúrgicas, recuperação e possíveis complicações.

Se você está considerando a otoplastia, é importante discutir suas expectativas e preocupações com um cirurgião plástico qualificado e experiente, a Clínica Art Corporis pode ajudá-lo a tomar uma decisão informada sobre o melhor tratamento para suas necessidades específicas.

Entre em contato agora mesmo e agende uma consulta!

Avalie post
CO2 Fracionado

Clínica Art Corporis

Oferecemos centro cirúrgico, com leitos para internação para outras especialidades.

Categorias

Veja também

pele sensível
Dermatologia

Cuidados Especiais para Pele Sensível

Ter uma pele sensível requer cuidados especiais para mantê-la saudável e protegida. Descobrir a rotina adequada e os produtos certos

Cirurgia Plástica Brasília